Identificação de heroína em amostras de drogas de rua

Substratos SERS (“ Surface Enhanced Raman Scatering”) impressos (P-SERS)

O kit ID Metrohm, para testar a presença de opioides, foi usado com o sistema Raman portátil Mira DS e detetou com sucesso heroína em 18 amostras de droga de rua sem processamento. A deteção de heroína com o kit ID foi efetuado com sucesso facilmente e muito rápido, e com o mínimo manipulação da amostra. Foi feito também um estudo de solventes para determinar qual o solvente ideal para a extração da amostra bruta, os resultados estão incluídos aqui.

Amostras

Um laboratório forense local forneceu 18 amostras brutas de heroína de rua. A presença de heroína em cada uma das amostras foi previamente confirmada com GC / MS. Cada amostra era castanha clara em pó ou cristalina e variava de 1 - 5 mg em peso.

Equipamentos Usados

  • Kit ID 607506400
  • Analisador Mira DS 2.926.0020
  • Software MiraCal DS 606071010
  • Acessório SERS Smart 607506040

Estudo de Solventes

  • Água
  • Etanol
  • Metanol
  • Diclorometano
  • Clorofórmio

Nove amostras de 1-2 mg foram separadas das amostras de maior volume, 250 μL do solvente candidato foi adicionado a essas amostras de 1-2 mg e o tubo de ensaio foi agitado para misturar. Os sólidos foram deixados assentar e 10 µL do sobrenadante foram adicionados diretamente aos substratos do kit ID P-SERS e deixou-se secar. Cada substrato P-SERS foi inserido na slot do acessório SERS, e foi adquirido o espectro.

 

Análise e Resultados

Análise

Os atributos desejáveis para o estudo do solvente foram:

  • • Extração limpa e bem-sucedida de heroína
  • • Compatibilidade com nanopartículas
  • • Volatilidade (evaporação rápida)
  • • Fluorescência do solvente/ ruido 
  • • Qualidade do espectro SERS
  • • Toxicidade
  • • Cumprir regulamentos para envios domésticos e internacionais
 

Resultados

Etanol, diclorometano, acetonitrilo, acetato de etilo, ácido acético e água possibilitaram a deteção de picos de heroína em 531, 625 e 1336 cm-1 (Figura 1, em baixo). A extração da heroína de rua com acetato de etilo resultou em espectros com muito baixos níveis de fluorescência, interferência de ruido e contaminação.

 

Comparação SERS vs. Raman

SERS é uma técnica que permite a deteção de vestígios do analito e pode atenuar a fluorescência. Os espectros de heroína na Figura 2 ilustram o desafio para a espectroscopia Raman na análise de amostras brutas de heroína de rua. A análise com substrato SERS do padrão de heroína com 1 mg / ml (verde) exibe baixos níveis de fluorescência. No entanto, a heroína de rua pode exibir altos níveis de fluorescência sob análise clássica de Raman (azul). Os substratos SERS reduzem eficientemente a fluorescência, resultando em espectros com picos visíveis de heroína (vermelho).

Análise de amostras de heroína de rua com P-SERS

Cada uma das 18 amostras de rua foi extraída com acetato de etilo e aplicada nos substratos do kit ID de uma maneira idêntica à descrita acima. A heroína foi detetada positivamente nos espectros SERS de todas as 18 amostras (Figura 4, à direita). Foram utilizados algoritmos automatizados para deteção da heroína no Mira DS, forneceram resultados rápidos, relatórios com identificação de Opioide positivo e com ecrã vermelho indicando perigo, Figura 3.

Conclusão

Este estudo foi elaborado para mostrar o novo Kit ID da Metrohm. Este kit foi desenvolvido para ser de fácil utilização: com uma pequena quantidade de amostra de rua suspeita de conter heroína, morfina ou codeína basta adicionar diretamente num frasco fornecido com acetato de etilo. O sobrenadante resultante é depositado diretamente no substrato P-SERS fornecido com o kit ID. Esse substrato é inserido no acessório SERS Smart do Mira DS, e os algoritmos automatizados de deteção de opiáceos executam a análise. Obtenha resultados rápidos e precisos com uma maior facilidade!